publicidade

Esportes

Linense sofre no jogo aéreo

Redação Debate no dia 05 de fevereiro de 2019 às 18:10
Atualizada em 05 de fevereiro de 2019 às 18:37
- Jogadores assustam com o gol de Everton Tchê do Nacional (foto: J.Serafim)

O Linense sofreu cinco gols em cinco jogos, quatro de bola levantada na área (um foi de pênalti). A fragilidade defensiva nessas jogadas custou caro ao time nos três jogos em casa (derrota para a Portuguesa Santista e empate diante do Santo André e Nacional). “Mais uma vez tomamos um gol de bola parada. É uma falha que nós não podemos cometer mais. Foi mais um jogo em que, praticamente, fizemos meio campo, talvez 75% de posse de bola, mas não fizemos os gols que eram necessários para ganhar o jogo”, disse o técnico Júlio Sérgio ao Debate ao analisar o empate contra o Nacional.

Júlio Sérgio argumentou que estaria mais preocupado se a equipe não apresentasse volume de jogo o ofensivo. “Nós criamos situações para fazer o gol e aí existem decisões, uma série de fatores que a gente (técnico) não pode controlar. Eu me lembro de pelo menos três situações claríssimas de gol que a gente não fez e o futebol não permite errar tanto assim”, observou.

O treinador cobrou mais precisão dos jogadores na hora de definir as jogadas. “Precisamos ter um pouco mais de capricho na hora de finalizar, porque eu ficaria muitíssimo preocupado se nós não estivéssemos criando e estivéssemos expostos e sofrendo a todo momento. Não é isso que vem acontecendo, o time está balanceado”, analisou.

As duas vitórias fora de casa compensaram e o CAL é o sexto colocado. Domingo, pela sexta rodada, fora de casa, enfrenta o Taubaté, às 10 horas. 

© Copyright 2019 - Jornal Debate