publicidade

Polícia

Empresário segurava um terço na mão ao ser preso no cemitério

no dia 19 de maro de 2019 às 18:25
- Prisão no cemitério: Elton Kléber Chaves da Silva, de 42 anos

A ajudante de cozinha Jéssica Cristina de Souza, de 27 anos, que foi morta com um tiro na cabeça desferido pelo empresário Elton Kléber Chaves da Silva, de 42 anos, com uma pistola Taurus 380, morava vizinha da fábrica de pães do empresário, na rua Major Matos Guedes.

O homicídio qualificado ocorreu na sexta-feira, dia 15, por volta das 13h30, na rua Major Matos Guedes, 240, no bairro do Ribeiro.

O inquérito policial é presidido pelo delegado André Ricardo Hauy, que tem até sexta-feira para conclui-lo e relatá-lo ao Poder Judiciário. O empresário encontra-se preso.

Na sexta-feira, o tenente Marcel e o cabo Romano da Polícia Militar apresentaram o empresário à delegada Juliana Bredariol de Oliveira, que lavrou o flagrante.

Na ocorrência, os policiais relataram que prenderam o empresário escondido entre os túmulos, cabisbaixo e com um terço na mão, parecendo estar rezando; questionado se tinha feito algo, o autor disse que apenas havia se defendido, dizendo ainda que sua padaria havia sido furtada naquela madrugada e que acreditava que eram os ‘nóias’ que ficam fumando ali perto. Ainda segundo consta do boletim de ocorrência, Elton disse que estava na frente da padaria, nervoso, quando as vítimas passaram e perguntaram o que tinha acontecido. Ele contou sobre o furto e disse a elas que acreditava que eram os ‘nóias’, oportunidade em que se iniciou uma discussão e que, em dano momento da discussão, foi até a caminhonete e retornou com sua arma de fogo com a intenção de assustar as vítimas, porém, acabou por efetuar um disparo”.

A arma foi encontrada embaixo de uma caixa de concreto de queimar velas.

Os investigadores foram ao prédio comercial e apreenderam mais dez munições na padaria e o registro da arma, que estava vencido.

A Pistola 380 estava com um carregador municiado com oito munições íntegras e mais dez munições íntegras guardadas em um plástico.

© Copyright 2019 - Jornal Debate