publicidade

Esportes

Arquibancada está em andamento com a fabricação dos pré-moldados, diz Edgar

no dia 15 de maio de 2019 às 08:55
- Casa vai sair: vista do espaço onde será construída a arquibancada (foto:Emerson Secco)

Há dois meses, a Caixa Econômica Federal (regional de Bauru) autorizou a Prefeitura a emitir a ordem de serviço para a empresa Ohana, de São Paulo, iniciar a construção da arquibancada do estádio Gilberto Siqueira Lopes. Porém, até o momento o governo federal ainda não depositou o dinheiro na conta do banco, responsável pelo pagamento da empreiteira de acordo com as medições da obra. No estádio, ainda não se vê nada de arquibancada, a fundação nem começou a ser implantada, mas a casa (antigos vestiários e Sala Vip) está sendo demolida – já foram removidos o telhado e todas as estruturas internas.

Na quinta-feira passada, o Debate ouviu o prefeito Edgar de Souza a respeito do andamento da obra e perguntou como ele tem lidado com essa situação. “Nós temos feito reuniões sistemáticas com a empresa que ganhou a licitação. A obra está em andamento. Como é uma obra com pré-moldados, ela faz essa primeira parte na própria empresa, não é no espaço da construção. Fizemos alguns ajustes para adiantar uma parte do valor (a contrapartida da Prefeitura é de R$ 80 mil). Ainda não entrou o recurso federal na conta da Caixa, mas há expectativa de que a primeira parcela entre nos próximos dias. A obra está em andamento com a fabricação dos pré-moldados”, explicou Edgar.

O prefeito acrescentou que o dinheiro liberado pelo governo federal para a construção da arquibancada é específico para esse fim. “Não tem como dar outra finalidade. É como recurso que conseguimos para a cultura, trazer shows e no turismo para construir os monumentos. São verbas destinadas àquela finalidade”, frisou.

Na visão do prefeito, a nova arquibancada valoriza o estádio, um importante patrimônio do município. “Sofremos duros golpes com os dois rebaixamentos, mas vamos voltar rapidamente, se Deus quiser, à série A-2 e A1 e precisamos estar preparados”, comentou.

A arquibancada vai custar R$ 2.216.119,90, segundo a licitação, com recursos do governo federal e uma contrapartida do município de R$ 80 mil. O prazo de conclusão, previsto no contrato, é de 10 meses.

A arquibancada, composta por elemento armado pré-fabricado em concreto armado e protendido, ocupara uma área de 1.827,12 m2 e terá capacidade para 2.668 torcedores. Somados aos 7.348 lugares disponíveis hoje, de acordo com o AVCB do Corpo de Bombeiros, a capacidade total do estádio chegará a 10.016. A Federação Paulista exige 10 mil para jogos da A-1 e acima de 8 mil na A-2. Na Série A-3, que o Linense disputará em 2019, a capacidade exigida é de 6 mil lugares.

 

Pista de skate

A construção da pista de skate e das melhorias na pista de atletismo do bairro José Dias dos Santos (iluminação, zeladoria e sanitários) ainda não foram autorizadas pela Caixa. As duas obras estão licitadas desde o ano passado, mas o governo federal não repassou ainda a primeira parcela, que corresponde à primeira medição.

© Copyright 2019 - Jornal Debate