publicidade

Polícia

Em Guaiçara, dois casais são presos por furto e abade de uma novilha

no dia 11 de julho de 2019 às 12:10
- Carne da novilha abatida e varas de pesca apreendidas (Foto: Polícia Ambiental)

A Polícia Ambiental prendeu duas mulheres e dois homens (dois casais) por abate de uma novilha e pesca irregular no sítio Dois Irmão, em Guaiçara, por volta das 19 horas de terça-feira, dia 9, feriado da Revolução Constitucionalista.

A ocorrência foi apresentada ao delegado Theles Anhesini, que lavrou o flagrante por furto qualificado (matar espécie da fauna silvestre e pescar em período proibido ou em lugares interditados). Na CPJ (Central da Polícia Judiciária), o delegado ratificou as prisões de Sudelaine Cristina da Silva Almeida, de 29 anos; Vanderleia Aparecida de Oliveira, 37 anos; Jonas Almeida de Oliveira, 30 anos, e Valdeci de Souza, 44 anos, todos moradores em Guaiçara.

A novilha abatida é de propriedade de Marcos Antônio Lopes, de 49 anos, conhecido Carrapato, que avaliou o bovino em R$ 1,6 mil.

O quarteto estava em um Gol 2010, com placas de Lins, no qual estavam os 70 quilos da carne do animal abatido. Também foi apreendida a faca utilizada para abater a novilha.

Segundo o boletim de ocorrência, a Polícia Ambiental recebeu uma denúncia de que havia pessoas praticando pesca proibida na propriedade. Um informante disse ter visto dois homens arrastando um saco banco pela pastagem e, ainda, que um veículo estava estacionado nas proximidades. Naquela região tem ocorrido furtos de gado, o que reforçou a suspeita de que havia um crime em andamento.

Ao chegarem para averiguar a denúncia, os policiais encontraram as duas mulheres ao lado do veículo, na companhia de crianças. Os homens estavam na propriedade, ainda trabalhando no abate do animal. No veículo, havia tralha de pesca e uma das mulheres alegou, em princípio, que pescara apenas um cascudo. Porém, parte da carne bovina ainda fresca já estava guardada no veículo.

Segundo os policiais, ao serem questionadas, as mulheres disseram que seus esposos, Jonatas e Valdeci, tinham matado uma novilha, desossado e colocado a carne no porta-malas.

O proprietário da novilha localizou os dois homens, que estavam com as vestes sujas de sangue, e os trouxe até os policiais. Em seguida, ambos indicaram aos policiais ambientais onde estava a novilha morta.

 

© Copyright 2019 - Jornal Debate