publicidade

Geral

MPF pede afastamento imediato de Edgar e novas eleições

no dia 04 de outubro de 2019 às 20:59
- Edgar: manifestação do MPF não altera o andamento do processo (foto: Codec)

Ao se pronunciar no recurso especial interposto pelo prefeito Edgar de Souza, o vice-procurador geral eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros, representante do Ministério Público Eleitoral, pediu a imediata execução da decisão do ministro Edson Fachin, no âmbito do Tribunal Superior Eleitoral, com o afastamento dos recorrentes dos cargos de prefeito e vice-prefeito de Lins, determinando-se a realização de novas eleições diretas para o município.

Publicada na quinta-feira, dia 3, a manifestação do vice-procurador considera que, “ainda que por meio de decisão monocrática, o efeito suspensivo conferido pela Presidência do

Tribunal Regional (o que permitiu a Edgar concorrer no cargo) restou superado.” E acrescenta: “Para além dessas considerações, cabe relembrar que a regra dos recursos eleitorais é precisamente a ausência de efeito suspensivo”.

Segundo Edgar, manifestação do MPF não altera o andamento do processo. “É um parecer do Ministério Público Eleitoral, opinião esta que vem sendo mantida desde a primeira instância, onde nós ganhamos, inclusive, na segunda instância, onde nós perdemos por 4 a 3, e agora na instância superior. É a mesma posição, não difere de absolutamente nada. Não há decisão a esse respeito. Essa é a posição do Ministério Público e nós estramos com a nossa defesa e estamos apresentando todos os recursos. Ainda não há decisão. Levaremos ao Supremo se necessário for para fazer valer o voto do povo linense”, disse o prefeito Edgar em um vídeo publicado nas redes sociais ontem à tarde.

© Copyright 2019 - Jornal Debate