publicidade

Geral

Dez entre as onze cidades pesquisadas pelo Debate tiveram emprego negativo em dezembro

no dia 28 de janeiro de 2020 às 09:02
- Lins teve um 2018 melhor no emprego (foto: Divulgação)

Dezembro foi mesmo um mês ruim para o emprego, algo que já era esperado pelos especialistas. Na pesquisa regional que o Debate faz a partir dos dados divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), órgão ligado ao Ministério da Economia, dez entre as onze cidades apresentaram saldo negativo. Em termos nominais, Bauru com (-) 1.674 e Rio Preto com (-) 1.242 tiveram os piores resultados. Apenas Lençóis Paulista, que abriu 10 vagas em dezembro, teve saldo positivo.

O resultado anual, que considera o saldo acumulado de janeiro a dezembro, já mostra sinais diferentes. Cinco cidades tiveram saldo negativo, Lins entre elas, mas seis fecharam o ano com mais contratações do que demissões. Neste caso, o destaque fica para Marília, com 1.812 admissões, e Lençóis Paulista, que abriu 1.589 postos de trabalho com carteira assinada em 2019. Considerando-se o impacto no mercado de trabalho local, Lençóis deu uma lavada nas concorrentes, pois apresentou crescimento de 9,30% no número de pessoas empregadas.

Nesta edição, o Debate também faz a comparação com o saldo acumulado em 2018, ano em que seis cidades fecharam com saldo negativo. Jaú fechou 1.048 vagas e Promissão 735, equivalente a (-) 8,52% do total de trabalhadores.

Embora tenha fechado 105.309 postos de trabalho em dezembro, o Estado de São Paulo teve saldo positivo em 2019 – 184.133 vagas criadas. Em 2018 tinham sido 146.596.

O Brasil fechou R$ 307.311 em dezembro, mas abriu 644.079 no ano. Em 2018, foram 529.554.

   

Lins teve um 2018 melhor no emprego

Dezembro foi de longe o pior mês de 2019 para a geração de emprego, também em Lins. Segundo os dados do Caged, foram contratados 437 trabalhadores e demitidos 778, gerando um saldo negativo de (-) 341. Em novembro, o saldo havia ficado positivo após quatro meses, com a criação de 52 vagas. Até então, o pior mês tinha sido setembro, com saldo de (-) 149.

O setor de serviços fechou 218 vagas (170-388), liderando o grupo de oito segmentos pesquisados pelo Caged. Na segunda posição aparece a indústria de transformação, com saldo de (-) 128 (83-211). O comércio também demitiu mais do que contratou, (-) 14 (112-126). Apenas a construção civil com 15 (51-36) e a agropecuária com 6 (19-13) tiveram saldos positivos.

O efeito dezembro impactou o resultado anual, que fechou com saldo (-) 327. Neste caso, o comércio lidera com (-) 159 (1.639-1.798), a construção civil teve (-) 112 (333-445) e os serviços (-) 71 (2.756-2827). A indústria da transformação e a agropecuária tiveram saldos positivos, com 7 (2.079-2.072) e 9 (115-106) vagas abertas ao longo do ano, respectivamente.

Em 2018, Lins alcançou saldo positivo com a criação de 568 postos de trabalho – 7.630 admissões e 7.062 demissões.

© Copyright 2020 - Jornal Debate