publicidade

Geral

Renúncia coletiva no Sinfusp - Servidores devem quase R$ 600 mil ao sindicato, diz ex-presidente

no dia 21 de junho de 2022 às 20:06
- Elizabeth dos Santos, ex-presidente do Sinfusp (foto: Emerson Secco/arquivo)

Na semana passada os membros da diretoria do Sinfusp (Sindicado dos Servidores Públicos Municipais de Lins e Regiçao), eleita em março de 2019, apresentaram uma renúncia coletiva. Ontem, a presidente Elizabeth dos Santos comunicou a decisão ao Oficial de Registro Civil das Pessoas Jurídicas da Comarca de Lins. Na carta de renúncia, a presidente informa que as chaves do Sindicato foram entregues à Fetam (Federação dos Trabalhadores do Serviço Municipal).

Em nota enviada ao Debate, Elizabeth disse que assumiu um sindicato “totalmente falido com quase R$ 500 mil em dívidas com empresas e pagamos quase todas”, que havia “uma lista de estornos (servidores que devem para a instituição) de R$ 250 mil -- impossível de receber pelos motivos de não conseguirmos provar a origem da dívida, totalizando quase R$ 750 mil”.

Ela disse também que hoje a dívida de estorno é de quase R$ 600 mil. “São dívidas devidamente comprovadas através dos convênios médicos, cartão Premier e outros. Foram cobradas e alguns negociaram, mas outros nem se importaram. E, com a pandemia, não podíamos cortar os convênios médicos, mesmo de quem não pagava, ficando insustentável de administrar”.

A ex-presidente afirma que a diretoria deixou “todas as dívidas do Cartão Premier, boletos e outros pagas até o dia 18/6/2022” e que foi pago um mês adiantado do aluguel e a mensalidade do escritório que faz a contabilidade. “Inclusive a prestação de conta do dia 1º ao dia 20 de junho de 2022, encontra-se no escritório”, observou.

© Copyright 2022 - Jornal Debate