publicidade

Geral

Com dívidas acumuladas de R$ 150 mil, Apae elege nova diretoria

no dia 02 de dezembro de 2019 às 20:58
- Juliana, Creusa e Hélio Ruiz (foto: Divulgação)

Em assembleia realizada na sexta-feira, dia 29, a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Lins) elegeu sua nova diretória para o triênio 2020 a 2023.

O advogado Hélio Patrício Ruiz liderou a chapa única – ‘Apae de Portas Abertas’ -- e assume a presidência na primeira semana de janeiro, no lugar da atual presidente, Creusa Maria Pedroso, que cumpriu dois mandatos.

O maior desafio da nova diretoria é equilibrar as contas. Segundo a presidente Creusa Pedroso, a entidade tem um déficit mensal de R$ 20 mil e dívidas acumuladas de R$ 150 mil. A presidente fez a exposição dos números durante a assembleia eleitoral.

Informações levantadas pela nova diretoria mostram que só em salários atrasados são R$ 96.779,00 e ainda tem o 13º, de R$ 22.790,00, que a entidade não tem condições de saldar. As despesas de novembro ainda não pagas somam R$ 29.735,86. O total das dívidas chega a R$ 149.304,86, sem contar as despesas que ainda se acumularão em dezembro e que dificilmente serão pagas por falta de dinheiro no caixa.

O novo presidente disse ontem ao Debate que espera contar com o apoio da Prefeitura e da Câmara, e de deputados para conseguir verba de custeio e quitar os atrasados e equilibrar o fluxo de caixa.

A entidade conta com 31 funcionários registrados e mais dois prestadores de serviços - um médico e uma advogada. São atendidos 140 deficientes intelectuais e 30 na reabilitação física.

© Copyright 2020 - Jornal Debate