publicidade

Geral

Santa Casa teve déficit de R$ 1,5 milhão no ano passado

no dia 20 de maio de 2020 às 21:24
- Santa Casa de Lins (foto: Emerson Secco)

Aumentar as receitas é o único meio de manter a Associação e Fraternidade São Francisco de Assis da Providência de Deus, liderada pelo frei Francisco, à frente da Santa Casa, hospital que a Associação administra desde novembro de 2011.

Nessa linha, o prefeito Edgar de Souza disse ontem que já iniciou conversas com a Secretaria Estadual de Saúde, que garantiu a renovação do convênio, mas ainda não decidiu o valor do reajuste (o valor atual é de R$ 400 mil por mês e busca-se algo em torno de R$ 600 mil). Outra forma direta de aumentar a receita é repactuar com as prefeituras da região o repasse proporcional aos pacientes desses municípios atendidos pelo hospital. A novela é antiga, algumas prefeituras pagaram um tempo e depois param, outras mantiveram o pagamento mas, com o tempo, os valores também se defasaram.

Edgar revelou que no ano passado o hospital teve um déficit de R$ 1,5 milhão e se as receitas não aumentarem esse passivo vai subindo a cada ano. Esse cenário preocupa o frei Francisco com quem Edgar esteve reunido esta semana, em Jaci, na região de Rio Preto, sede da Associação.  

Apesar de ter sido iniciado um processo de transição, conforme comunicado expedido pelo Conselho de Administração da Santa Casa, no qual informa-se que o gestor, frei Jorge, ficará apenas por mais 30 dias, o prefeito disse que a “saída não é definitiva” e que ele trabalha para reverter essa situação. “A minha expectativa pessoal é que o frei não saía. Eu vou trabalhar com isso em sintonia com o Conselho de Administração. Não significa que está tudo certo, precisamos melhorar a gestão e aumentar o aporte financeiro do Estado e ajustar o repasse com as prefeituras da região”, afirmou. Matéria completa na edição impressa.

© Copyright 2020 - Jornal Debate